List of products by brand Henriques & Henriques

A família Henriques estabeleceu-se na zona de Câmara de Lobos no século XV, tornando-se a maior propietária vinícola da ilha. As primeiras vinhas foram cultivadas, nesta zona, por ordem do Infante D. Henrique, por volta de 1425. Inicialmente fizeram-se plantações nos socalcos do Pico da Torre, propriedade da família Henriques e nas encostas dos vales do Estreito de Câmara de Lobos e Quinta Grande, regiões tradicionalmente conhecidas por serem as melhores produtoras de vinho Madeira.


A firma Henriques & Henriques, a única detentora de vinhedos próprios, continua a apostar nas mais recentes inovadoras tecnológicas, mantendo contudo a inalterável tradição familiar que perdura há 550 anos na produção dos melhores vinhos Madeira.

A história de Henriques & Henriques, fundada por João Gonçalves Henriques, remonta a 1850. Após a sua morte em 1912, uma sociedade foi criada entre os seus dois filhos, Francisco Eduardo e João Joaquim Henriques, o que deu origem ao nome Henriques & Henriques.
Desde os primeiros tempos, Henriques & Henriques ocupou um lugar de destaque na viticultura e na arte de fazer vinho. Em 1913 os interesses familiares foram constituídos numa empresa da família que, em 1925, iniciou a sua actividade como exportadora dos seus vinhos em detrimento do fornecimento local a outros exportadores.

Em 1968, com a morte do último Henriques, João Joaquim Henriques, conhecido por “João de Belém”, que não tinha descendentes, a empresa foi herdada pelos seus três amigos e colaboradores: Alberto Nascimento Jardim, Peter Cossart (que fez 53 vindimas na companhia) e Carlos Nunes Pereira.

Em Junho de 1992, Henriques & Henriques realizou um empreendimento englobado num programa de expansão, num valor superior a EUR 5.000.000, investindo na construção de novas instalações em Câmara de Lobos e um novo centro de vinificação na Quinta Grande.

As novas instalações em Câmara de Lobos albergam os escritórios, laboratório, sala de provas, loja, armazéns com frente envidraçada (para envelhecimento de vinhos em cascos) e na cave tanques em aço inox de diversas capacidades para armazenagem e loteamentos.

Em 1995, a Companhia decidiu plantar na freguesia da Quinta Grande, um novo vinhedo junto ao centro de vinificação. Henriques & Henriques é o único produtor de vinho da Madeira que possui vinhas próprias.

A companhia continua a apostar nas mais recentes inovações tecnológicas, mantendo contudo a inalterável tradição familiar que perdura há 200 anos na produção dos melhores vinhos Madeira. O controlo total de todos os aspectos da produção permite a H&H produzir e comercializar vinhos de qualidade excepcional.

Henriques & Henriques Tinta Negra 50A

Este vinho de cinqüenta anos revela características marcantes terciários resultantes da longa maturação com cascos de carvalho americano muito velhos e é expressa em grande estilo e qualidade revelando boa acidez e concentração, sendo um bom exemplo da identidade da Tinta Negra.

Henriques & Henriques Terrantez 20A

Brilhante, cor ouro velho com nuances esverdeadas. Aroma a frutos secos nomeadamente passas, avelãs e nozes, alguma madeira. Meio seco, complexo, paladar a amêndoa amarga, frutos secos, especiarias, pimenta verde e alguma madeira. Taninos e acidez em bom equilíbrio.
Fim de boca longo realçando-se ligeiro travo próprio da casta.

Henriques & Henriques Verdelho 20A

Vinho de cor dourada com laivos esverdeados. Frutas tropicais frescas e aromas picantes a especiarias com um toque de melão.
Acidez refrescante e cheia no palato com sabor inicial de mango e alperce terminando em sabores de abacaxi no palato textural médio, final meio seco e limpo. Um vinho vibrante e atraente.

Henriques & Henriques Malmsey 20A

Vinho brilhante e de cor escura com laivos dourados. Aroma complexo a frutos secos, caramelo e mel com alguma madeira subtil. Paladar doce e aveludado a frutos secos, em especial passas, mel e baunilha.
Boa acidez e um fim de boca excelente.

Henriques & Henriques Boal Single Harvest 2000

Vinho ouro escuro com nuances esverdeadas. Aroma complexo e evoluído de intensidade pronunciada a frutos secos, nomeadamente passas e nozes, mas também mel e baunilha. O paladar é meio doce e complexo a caramelo. Corpo médio, sabor complexo e intenso a frutos secos.

Vinho com toque de madeira velha e um longo fim de boca.